República do Pensamento

A CRÔNICA DO CRÔNICO

Essa luta atônita que empregas
revela o teu lado pior
melhor que o sublimasses
entre lágrimas, esporros ou delícias
menos amargas que as que entregas

Essa vida míope que conduzes
induz teu dolo, exposto
melhor que o calibrasses
entre lástimas, escarros ou carícias
menos doloridas que as tuas cruzes
* Luiz Cláudio Pimentel


LOTÉRICA

sei que é do dia, talvez
mas a noite me desnuda em impossibilidade

tento acreditar, mas como?
de que jeito?

jogos de azar
que se armam, somem

formas de encantar
que arrebatam e consomem

a sorte acumulada, não vês?
mas a sequência contemplada está em outra localidade

tento reprocessar, mas de que forma?
com que velocidade?

jogos de amar
que se calam, homem

formas de delirar
que desatam, sem nome

*Luiz Cláudio Pimentel


RUMORES

dádiva duvidosa
juros eternos de rancor
amor, pra quê?

sinceridade espalhada
em parcelas doloridas
pinceladas doídas na alma
de uma só cor.

rumores

de que algo não está por vir.

*Luiz Cláudio Pimentel




RECEITA DO SONHO

pus meu sonho para descansar,
reservei momentos para que adquirisse leveza
levei aos céus uma possibilidade de combinações

Que Deus sabe porque dão certo
ou desandam

adocei com ternura e compreensão
(faltam na praça, vez em quando...)
sempre é tempo de se renovar infinitudes deste estoque

decidi não congelar,
basta de artificialidades!

tempo, senhor das fórmulas imperfeitas
mas tão valiosas, tão marcantes

pelo sabor verdadeiro que transmitem...
* Luiz Cláudio Pimentel


SER TONS

mar de rio
matizes de sol e lua
a bucólica rua me acomoda

e não se incomoda com isso

flor de lírios, rosa do agreste
cores de delírios da peste
mais amorosa,

na sua dinâmica me acaricia
e nos aprecia

nem disso se vangloria
paisagem!
* Luiz Cláudio Pimentel


ASA

estou nos eixos
balanço, com grooves e experiências

não me deixo
avanço, como quem pode sempre pensar
para o alto e avante

estou com os pés no chão
dos nãos, tantos eu sei

não me queixo mais não
dos grãos, pinturas colherei
* Luiz Cláudio Pimentel


FOLHA EM BRANCO

seja canetas...
suja caneleta, sóbria aparência
desciclopédia, na média
não mais que isso

simples escrita
sutil, infinita
solta luminiscência

indefinida,
mas totalmente querida

ponto de início

seja caretas!
suas carências são preenchidas
* Luiz Cláudio Pimentel


SONHO NOSSO

EsplaNada. EsplaTudo. EsplaTodos.

* Marcos Fabrício


O não é culpado. A boa ideia, responsável.

* Marcos Fabrício


Esqueçam o meu nome. Lembrem-se da nossa obra.

* Marcos Fabrício


A respeito do passado, passe bem.
A respeito do presente, surpresa agradável.
A respeito do futuro, melhoras.

* Marcos Fabrício


evolução
aplaudir de pé
a vaia sentada

* Marcos Fabrício


futebol de poesia
gol do fenômeno
regina

* Marcos Fabrício


eu escrevo com a mão direita
minha poesia
canhotinha de ouro

* Marcos Fabrício


ESTÉTICA DA FOME

JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO
JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO JÁ PÃO

* Marcos Fabrício


antes sol do que nublado
quem primeiro pisou na lua
foi um coração apaixonado

* Marcos Fabrício


Quando o talento ajuda, a sorte te acompanha

* Marcos Fabrício


Só acredito em embaixadores que saibam fazer embaixadinhas

* Marcos Fabrício


me jogam pra escanteio
eu faço gol olímpico

* Marcos Fabrício


eu sou uma floresta pegando fogo
querendo seu amor água de coco

* Marcos Fabrício


deus
pra mim
deusina

* Marcos Fabrício


Nem todo o gol é sim. O sim é o gol de placa.

* Marcos Fabrício


cante e kant pra mim
sou todo ouvidos

* Marcos Fabrício


a vida
me deu de presente
uma orquestra de beijos...

* Marcos Fabrício


O farol está aceso para receber o mar de rosas.

* Marcos Fabrício


ORDEM E PROGRESSO

cadê o verde
que tava aqui?
o cinza comeu

* Marcos Fabrício


pra não cair
no conto da novidade
chame a historicidade

* Marcos Fabrício


grito do ipiranga
sinal que o poder
não escuta direito

* Marcos Fabrício


OLHO VIVO

seus olhos
me ajudam
a enxergar melhor

* Marcos Fabrício


TRIBUNAL DA CONSCIÊNCIA

no tribunal da consciência
o amor não veste toga
nem bate o martelo
muito menos julga
busca compreender
que punir é força bruta
zelar pela causa justa
pede exame dos autos da agonia
confiando que dias após dia
a esperança enfim se concretiza

* Marcos Fabrício


O DESCOBRIMENTO DO BRASIL

Preso
Logo
Existo
Entre as grades
A liberdade
Dribla o cárcere
Gol de placa
Não pode ser obra
De um covarde
Verde de esperança
Amarelo de medo
Azul de fome
E branco de sossego
Até quando
Divididos ao meio
Bancaremos na marra
Que somos inteiros?

* Marcos Fabrício



Poema: Marcos Fabrício
Ilustração: Iara Abreu
Projeto Aspectos Urbanos


brasil
real e surreal
ao mesmo tempo
anil 
ou fuzil?
that's the question!

* Marcos Fabrício


o tempo ocupa
espaço demais
na vida da gente
quando a felicidade
dura segundos
e a tristeza faz hora
com a nossa cara

* Marcos Fabrício


rogo proteção divina
luz interior
fazendo papel de lamparina

* Marcos Fabrício


"lindo"
quando vem da sua boca
eu piamente acredito
sinto-me corpo florido
guiado pelo belo espírito
do seu amor alegre
encantado
por meu porto seguro

* Marcos Fabrício


E AGORA, FABRÍCIO?

Agora que o Brasil foi descoberto,
será que posso viver
coberto de flores?
Agora que o Brasil foi descoberto,
será que posso viver sem coroa,
sem castelo,
sem dores?
Agora que o Brasil foi descoberto,
será que posso desfrutar da vida
como se ela fosse
um delicioso caramelo de amores?
Agora que o Brasil foi descoberto,
será que posso contemplar
a alegria de Dolores?

* Marcos Fabrício


GRUDADINHOS

O amor é o chiclete de doce interminável

* Marcos Fabrício


globo e você
nada a ver
com nada

* marcos fabrício


ELOGIO DA INTELIGÊNCIA

gosto da inteligência
da maneira lúcida
presente em sua desenvoltura
sempre crítica
sempre oportuna
fazendo do pobre mortal
gente rica em matéria
de saúde existencial
gosto da inteligência
do seu charme revelador
da sua contundência
forma delicada de dizer
com quantos paus
se faz uma canoa
sem a gente levar
paulada por perguntar
gosto da inteligência
do seu drible ousado
da sua ginga criativa
do seu gol pintado
artisticamente
gosto da inteligência
razão e emoção
são namoradas
do ser
casamento perfeito
portanto
entre a intuição
e o argumento
união estável
promovida pela gentileza
em beijos e abraços
com a ousadia
gosto da inteligência
que deixa a cretinice
falando sozinha
que empresta a voz
à nossa vontade cristalina
de musicar a vida
segundo a melodia fina
presente na leveza
gosto da inteligência
que simplifica
que nos livra de complicações
desnecessárias
admiro seu afã de reinventar
a roda do mundo
para a existência humana
bailarina
brilhar

* Marcos Fabrício


adoro o amor
que me tira do quadrado
e me convida para ser reinventado

* Marcos Fabrício


Quem disse que cérebro não rebola? Pensar pede jogo de cintura...

* Marcos Fabrício


o jogo começa antes do jogo e não termina com o apito do juiz

* marcos fabrício


nem normal
nem debilóide
prefiro ser asteróide
ao sabor deste mundo oscilóide

* Marcos Fabrício


SOLTO

viver é perigoso
mas também saboroso
delicioso existir
entre as montanhas
do solto conviver

* Marcos Fabrício


existe travessia
que deseja
travesseiro
existe travessia
que pede
travessão
travessias
formam travessuras
que solicitam
espírito brincalhão

* Marcos Fabrício


se beleza for só questão de lataria, todo mundo vai pra sucataria.

* Marcos Fabrício


meu deus
roubaram meu fusquinha
foi o danado do pardal
tirando uma casquinha
lá vai a moedinha
encher o santo cofre
do louvado tio patinhas

* Marcos Fabrício


zen do pólen
saudade do teu mel
mundo abelhudo
vem fazendo muito fel
unha e carne
tamo junto
brincando de carrossel

* Marcos Fabrício


felicidade rasa é tristeza profunda

* marcos fabrício


MIXIRICA

onde fala a vaidade
se cala a autoestima
o mundo é mais um gomo
de uma grande mixirica

* Marcos Fabrício


LIBERTAS...

eu não troco o meu "uai" pelo "why" de seu ninguém

* Marcos Fabrício


turbinada
aprenda com o turbante
a ser elegante
sem turbinar
o convencido turbo
que anda turvo
diante de tamanha turbulência

* Marcos Fabrício


Bíblia Bala Abala
Bala Abala Bíblia
Bíblia Abala Bala

* Marcos Fabrício


Se o elevador é uma igreja, o peido é uma blasfêmia.

* Marcos Fabrício


tudo que a gente toca se transforma em flor

* Marcos Fabrício


UMA NO CRAVO OUTRA NA FERRADURA

na revolução dos cravos
admiro a revolta contra as ferraduras

* marcos fabrício


MEU AMIGO GERALDINHO

cabeça branca
coração enorme
temperamento forte
postura viva
ética como norte
pessoa acolhedora
olhos vivos
fala direta
sem rodeios
para as curvas da vida
a graça tive
de fazer parte
do seu convívio
como genro
como filho
como amigo
nas tardes de domingo
a gente se lambuzava
frente à tv
vendo futebol
brincando de cruzeiro
e flamengo
um tipo de curtição
que só os apaixonados
pelo esporte bretão
conhecem
e se reconhecem
no drible da vida
chapelando a morte
dono de um arroz incrível
tudo bem soltinho
como deve ser
a liberdade
de dois companheiros
unidos que nem unha e carne
geraldinho geraldão geraldo
leve o meu abraço
o meu beijo na testa
onde você estiver
estarei também

* Marcos Fabrício


A LUA E O SOL

Minha Lua

Quero lhe ver toda nova de melodias
Que toda meia-noite seja simpatia
Para estrelas caírem do céu
E alimentarem minha fome solar de amor
Toda cheia de charme me envolva
Como no calor intenso de meio-dia
E me pegue de jeito sem deixar minguar o afeto
Crescente como o raio brilhando o melhor de mim


Teu
Sol

* Marcos Fabrício



doelo, de marcos fabrício


MANCHETE ENGANOSA

Correio Braziliense (09/02/2015):
"Saúde e Educação vão custar mais para o GDF"
Na verdade é o contrário:
"O GDF vai custar mais para Saúde e Educação"

* Marcos Fabrício


você inventou o alto astral e desinventou o tarja preta
seu bom humor tira o emprego de todo o poço sem fundo

* marcos fabrício


Dor é o lugar mais fundo do profundo movimento

* Marcos Fabrício


Quero morrer doce, homenagem ao salgado da vida.

* Marcos Fabrício


lençóis no doce passado
agora no presente
lenços cortam os laços

* Marcos Fabrício


duas coisas na vida não podem faltar: amor e picolé.

* marcos fabrício



só juízo


também é 


loucura





* Marcos Fabrício


CINQUENTA E UM TONS DE PURPURINA

Me chame de carnaval
Assim atendo o bom astral
Da cuíca ao reco-reco
O passado faz o eco
Do presente forte e belo
De anunciar o futuro
Doce como caramelo
Você toca meu coração
No embalo da bateria
Abre-alas da emoção
Com confete e serpentina
Porta-bandeira do desejo
Sou mestre-sala com todo respeito
Do nosso conjunto-evolução
Vamos tocar juntos bateria
Ô-lá-iá
Vamos cuidar da harmonia
Ô-lá-iá
Gentileza é mistura fina
Ô-lá-iá
Cinquenta e um tons de purpurina
Ô-lá-iá

* Marcos Fabrício


sei que sua mão
me tira do abismo do não
fico todo sim esverdeado
o frio passa a todo vapor
seu beijo canoa cascata
me leva sem remos
a nadar no rio das almas
onde você me veste
com a sua pele de pêssego
dama das águas de cavalcante
deixei de ser copo
virei com gosto sua sede

* Marcos Fabrício


a vantagem da paixão é a cor da cobertura do real:
tipo rosa rita lee

* marcos fabrício


FORMOSAS

cem mil formosas
enfeitando meu jardim
na praça bela
gentileza não tem fim
sua viola esplendor
vem e me encanta
sou gota d’água
na cachoeira da esperança
ao som do blues
saboreando noite escura
imperatriz dos pés descalços
pinta de céu minha alma nua

* Marcos Fabrício


você
acalma
a minha solidão

* Marcos Fabrício


escutam muito o fabuloso de carteirinha
prestemos atenção no cabuloso sem documento

* Marcos Fabrício


Você lapida o não disparado pela minha boca
Sabendo que o sim nem sempre é o melhor de mim
Existem borboletas passeando na sua escuridão
Um barulho de trem lembra a força dos seus vagões
Sua respiração toca a melhor das melodias
Não existe flecha no atirar do arco-íris
O amanhã saiu da casca do ontem
O luar não se impõe: aí está sua boniteza
Quero o seu colo para além de cinquenta tons de cinza
Não inventemos solidão maior que a muralha da China

* Marcos Fabrício


JOÃO E MARIA

na pele do meio-dia
nuvem logo se espanta
azul do céu alucina
fervor vem e se derrama

joão de olho em maria
os dois ali marmitando
arroz e feijão alegria
bife e ovo farofando

salada de fruta beleza
carinho tomando o gramado
o amor na rua proeza
desinventando o pecado

* Marcos Fabrício


NO GOGÓ

BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL

BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL

BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL

BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL
BLÁ BLÁ BLÁSIL BLÁ BLÁ BLÁSIL

* Marcos Fabrício


– QUERO VIVER!
– JÁ PEGOU A SENHA?

* Marcos Fabrício


CADA PALAVRA

Marcos Fabrício
BH, 26/11/2002

Cada palavra
É uma conta sem fim,
Até expressar o que eu sinto,
Sem antes escolher a estampa,
Que combine com o meu estado de graça.
Nessa noite,
Colherei estrelas
Para abrilhantar esse encontro ocupado
De risos desesperados por tanta tristeza ocupar.



CAIXÃO

Marcos Fabrício
BH, 29/11/2002

A chance se foi com a vida.
A vida se foi com o vento.
O vento se foi com a chuva.
A chuva se foi com o sol.
O sol se foi com a noite.
A noite se foi com o sono.
O sono se foi com o tempo.
Acordei túmulo.


CALCANHAR

Marcos Fabrício
BH 4.11.2002

A gente inquieto,
imitando a memória,
não sei o que é o bom,
só lembro do ótimo da fantasia.
Apenas me busco
no meu calcanhar
onde alcançar
lembranças além.
Só faço cantar
as letras que vem
aonde forçar
ainda vintém.

Vou acompanhar
os ritmos do vai e vem.
Sei lá onde buscar
e não me perdi.
Talvez caminhar
estradas a cantar,
paradas sem ônibus,
passagem de graça,
a benção sem telha,
a casa amarela,
cavalo sem cela,
só busco o vento
sem regra a soprar

A existência de ser...
Uma estrada a erguer
no palmo de argila
a endurecer
castelos de areia
no parque do esquecer.
É a minha infância
no entardecer.
Conto um punhado de sol
para esclarecer
o mistério do pó,
vou renascer. Ninhos de amor.


CALOR

Marcos Fabrício
BH, 30/09/2002

Eu estava pelo calor de tudo.
Medi a minha temperatura.
Vi que estava nas alturas.
Lugar inédito, mas, semente desse mundo.
Calado chegou bem quieto
Pedindo pressa no andar.
Coração, agora, bate bem perto.
Luz da vida a me clarear.
Lua nova,
Me renova
Até um dia saber amar.



CAMINHOS

Marcos Fabrício
Pedro Leopoldo – MG, 08/02/2003

Fui inventado
para curtir relógios adiantados.
Se me atraso
é para as viagens do acaso.

Atravesso de ônibus
os mistérios da cidade.
Não sei qual o ônus
de seguir sem contar a quilometragem.

Minha rima rica
é andar na travessia,
de saber que a harmonia
é encantar sem garantia.


PRETENSÃO

conjugar o intocável como a certeza de que estamos com a cueca de ontem

* Marcos Fabrício


CHORO

Marcos Fabrício
BH, 31.10.2002

Sonhos altos.
Travesseiro de nuvem.
Barulho de avião.
Sono interrompido.
Trovão e raios folgados.
É a vez de Deus chorar.
.
Olhos cinzentos.
Calores acumulados.
Ventos sem setas.
Força das lágrimas do alto.
Derrete, atinge
Todos aqueles que choram há anos,
Sem sonhos,
Sem travesseiro,
Sem sono,
Sem a folga dos raios,
Sem a atenção geral dedicada aos trovões.
O homem também chove


CONTA-GOTAS

Marcos Fabrício
BH, 12/10/2002

Pedidos reverberam tentativas de tesão.
Há um prazer geral onde tudo que se quer realizar.
A dor da espera provoca aquela pressa a se apressar mais.
Cada minuto faz passar uma eternidade.
O tempo é o conta-gotas da gente.
A chama da vela tenta me dizer alguma coisa.
Mas ninguém me chama.
Por quanto tempo vou suportar esse silêncio?
Enquanto isso, minhas pálpebras previsíveis
Fazem nascer mais uma calada da noite.


CORRIDA DE TAMPINHA

Marcos Fabrício
BH, 21/11/2002

Corrida de tampinha.
Carro movido a petelecos.
Nada de poluição.
O combustível era da imaginação.
Cada dia era uma pista diferente.
Riscada a giz por mãos aprendizes.
A gente se agachava
E se transformava em Senna, Proust, Piquet.
Valia até vela derretida para dar estabilidade ao carrinho sem rodas.
Tudo corria bem nessa realidade invertida.
A imaginação a galope
Fazia correr nossos pilotos encantados.
Gotas de água em convulsão.
As pistas se apagavam.
As vitórias eram empolgadas.
Era o tempo em que não se colecionava derrotas.
“Há um menino, há um moleque
morando sempre no meu coração...”


DÍZIMA PERIÓDICA

Existem pessoas ordinárias
e pessoas extraordinárias.
Eu sou uma dízima periódica.

* Marcos Fabrício


Sobram homens-bombas. Faltam homens-pombas.

* Marcos Fabrício


Livro bom espera o leitor amadurecer

* Marcos Fabrício


te amo
prazo de validade:
mil e uma noites.

* Marcos Fabrício


SILÊNCIO

Marcos Fabrício
BH, 5/3/2003

Palavra atleta
Corre léguas
Para chegar ao silêncio
Dizendo quase tudo
Quase nada
Língua que enrosca
E entrosa
Cercando o inabalável...
O pleno.

Fala falo
Calo com calos
Valise sem fundo
Filho bastardo
Na mala da mente
Roupas apertadas
Invenções folgadas
Além do abuso...
O pleno.


SAUDADE

Marcos Fabrício
BH, 02/12/2002

A minha mente está à galope.
Que tal um lugar diferente para a gente se encontrar?
Sugiro a avenida memória, encontro com a rua da saudade.
O silêncio reservado.
O corpo, desobediente, agitado
A lembrar dos teus gestos passageiros...
Conforme o tempo engolido apressadamente.
É dia de parar o mundo
Para saborear cada momento em sua miudeza.
Na ausência de te querer perto...
Não há o distante quando se tem saudade.


SALVADOR

Marcos Fabrício
Salvador, 27/08/2002

No sol escaldante de Salvador,
Salvo a alma e acendo o corpo.
Este corpo tão mal planejado
Pela cultura que lhe atravessa.
Encontro sentido no medo,
Quando o ser está em apuros
E você não se permite tocar
Na história de vida que é minha, tua e NOSSA!
Quem és tu, pobre egoísta,
Que se diz ser solidário abdicando do teu próprio ser?
Renuncia o que não te desperta
Seja luz, pois o ser te convida para ser então.
Brincar invade fronteiras.
Sério é o muro da vergonha.
Grito toda vez que o ser é verbo.
Calo toda vez que o ser é mar.


SABARÁ

Marcos Fabrício
Sabará – MG, 5/12/2002

Saberia que um dia
encontraria na sabedoria
Um tapete verde resistente,
Cidade crescente
No interior incandescente
de ferro e de ouro,
o brilho e a resistência das minas que sente...
o mineral transformado em gente.
Em Sabará,
a fé erguida por negros construiu
pedras teimosas de eternidade.


RIOS

Marcos Fabrício
BH, 5/10/2002

Noite escura. Voz interna.
Leituras de vida, minha vida.
Ninguém se anima
A ficar só a desistir do ser.
Dedos calam a minha boca
Mesmo assim não paro de falar
Ilusões a me guiar
Faz corpo de mulher
Toma forma o silêncio do meu bem-querer.
Sopram nos meus ouvidos – ventos, o feminino.
Surdo – o masculino – assume o não-ser.
A palavra dela transforma a minha morada
Numa praça de carinhos folgados.
Meu corpo não foi tomado
Pelo impulso da tua língua abusada
Diversas ondas de prazer
Desafiaram o intocável da minha pele
A buscar o suor e demais águas
Nas correntezas dos nossos rios encontrados.


RETICÊNCIAS

Marcos Fabrício
Salvador – BA, 28/08/2002

– O que você quer ser quando crescer?
– Ser ................................
A respeito desse diálogo, tire suas próprias conclusões.
Com a palavra, um dos vários “eus” que me habita:
Como são solidárias as reticências...
Permite o intermédio de qualquer natureza.
Seja eu, seja você, sejam as reticências.
Para curar aquela dor de cabeça do egoísmo,
Tome uma overdose de reticências
E a alma vai soltar aquele sussurro.
Toda vez que vierem com aquelas afirmações viciosas,
Tenha medo do ponto final, pois ele não diz nada.
Só afirma. E ponto final.
Abrace as reticências. Elas dizem o que diz o além...


REFORMA

Marcos Fabrício
BH, 02/02/2003

Só se fala em reforma
como se tivessem forma
as vontades humanas movimentadas pelo infinito.
Não se admite: consenso não existe.
Exclusão parece regra.
Inclusão foge à regra.
Um mundo movido no seu contrário...
ou será tarde demais para inverter a sua órbita?
Na regra do bom-senso
Talvez invente novas leis
Desobediência civil...
então, sou civilizado!?
Aprendi nas ruas o quanto a novidade é descartável.
Sedimentam-se desconfianças.


ORAÇÃO DO FEITIO

Marcos Fabrício
BH, 16/09/2002

Conversando com Noel Rosa e Vadio, em Feitio de oração:

Quem acha vive se perdendo
Então, quero me perder...
Ser gigolô das certezas
Para me encontrar com a amante dúvida.
Vá na fonte das certezas
E verás que a dúvida não foge à luta.
Quer dizer que quem acha vive se perdendo!?
Pois bem... vivo no acho e não acho que vivo.


CARNAVAL

faz de conta
que os barrados no baile
estavam no baile.

* Marcos Fabrício


Mandão é quem não manda bem.

* Marcos Fabrício


A vida é a máscara da morte

* Marcos Fabrício


abaixo o miojo
viva o vatapá

* Marcos Fabrício


Eu escrevo para não me transformar em um baú.

* Marcos Fabrício


vulnerável
calcanhar de aquiles

implacável
calcanhar de sócrates

* Marcos Fabrício


na vida
mais vale ser o etcétera
do que o tal

* Marcos Fabrício


de tanto lavar as mãos,
ficou com o espírito de porco.

* Marcos Fabrício


se for pra cair
que seja como fruta madura
saciando sua bendita gula

* Marcos Fabrício


Entre o proibido e o permitido está o oportuno.

* Marcos Fabrício


Aprendo feliz o que a tristeza me ensina.

* Marcos Fabrício


DAMA DA NOITE

fui beijado pelo doce da dama da noite
um amor cristalino toma conta do peito
suas mãos em meu rosto puro sossego
prazer nas alturas tudo com jeito
o melhor da ternura me deixa cheio
de sorriso no rosto fico todo aceso
seu olhar bem contempla o meu silêncio
mil asas que levantam o desejo
de abraçar você com o melhor dos dengos

* Marcos Fabrício


LARANJA MECÂNICA

laranja mecânica do absurdo
resta o bagaço sai o supra sumo
controle remoto pifado sensor
macunaíma fashion week
vem que nem trator
a dor dá um fora no amor
próxima ressaca ilha da fissura
papo furado enche a tela
falta muita tinta nessa aquarela
a boca banquete de tanta merda
ouvido pinico aguentando tagarela
bom dia com infarto
boa noite cinderela
a top model da passarela
anuncia com sangue nos olhos
a próxima quebra
o pior dos horrores
produz a besta fera
bonito é exceção
feio faz a regra
filme queimado
alimenta de choque
a plateia

* Marcos Fabrício


Minha terra
tem Felipão,
onde Neymar
segura o rojão.

* Marcos Fabrício


CORRUPÇÃO

Eles
somos
corruptos

* Marcos Fabrício


O lucro é o lobo do homem.

* Marcos Fabrício


Ser é fazer amor com a sua liberdade de escolha.

* Marcos Fabrício


Quem dá bom dia a cavalo não leva coice.

* Marcos Fabrício


MADRUGADA
é quando muitos se trancam
ao invés de se abrirem.

*Marcos Fabrício


CONFISSÕES

Sonho como um careta.
Ajo como um maluco.
Minha vida é um doce deleite.
Não suporto mentira mentirosa,
nem verdade verdadeira.
Quem duvida de mim
é digno de minha confiança.

* Marcos Fabrício


MEIO-DIA

o silêncio
está cansado
de cactos
cactos
de espinhos-palavras
que fritam no sol de meio-dia

* marcos fabrício


poesia
nascedouro
onde flui
a polifonia do mundo

* marcos fabrício


pelo beijo todo curtindo estrelas
recheando a lua com linda beleza
doce do encanto chega com presença
vem surgindo o canto da delicadeza
voz da boniteza ganha meus ouvidos
vestido florido charme colorido
liga meu desejo ao sabor do fino
elegante jeito de me fazer menino
alegre e esvoaçante vivo o destino
de acolher minha rosa como passarinho

* marcos fabrício


quero minha inércia sem gravidade
sair pra pescar sendo a própria isca
sem honras nem horizontes na pista
iluminar palavras que não me acham
errar perfeitamente como os apaixonados
curtir aos montes um guizado de conflitos
amanhecer de noite beijar na boca do risco
com pedaços de mim me surrealizo
meu verbo tem sabor de fruta bandida

* marcos fabrício


JEITO DE ESQUINA

o amor tem jeito de esquina
indicado como mel
passeia pelo volume da paixão
distrai os hábitos da solidão
com beijos anoitecendo a saudade
pele tablado de fantasias
sede de línguas famintas
lançadas no avançar de borboletas
trocando voos rasantes
por um pouso alegre a dois

no crepitar da garganta
tua saliva benta
conjuga carícias
presente faz-de-conta
do realizar
chama lilás pelo sorriso
brinco de trilhar
marcas de batom
ouso me surrealizar
no teu pescoço
navego pelejas contente
pela justa causa
de tua elegância
soletrando loucuras
em tom florido
aposentando espinhos insistentes
como o vento faz a curva
para não encontrar
a alma encomendada da lua

uma pegada diferente
dispensa gelos iguais
e copos monótonos
sabe que admiro
teu calcanhar como asas
passarela dos acasos
voo exato pela boca-hortelã
do paquerar

outro lugar parece minhoca
pesca tempo com tarrafa
vem sereia pisando em ovos
bailando gemas ao fritar
frutos do mar rio acima
te convido para jantar
tango acebolado

pernas trançadas
olhos em narizes
bocas ocas não mais
barrocas me atraem
contigo umbigo é pouco
prefiro sentir teu gosto
na febre de ser pessoa

* marcos fabrício


quando a gente discute
fere demais o coração
a discórdia prevalece
ninguém fica com a razão
respeito não pode faltar
desentendimentos acontecem
carinho um santo remédio
espanta a solidão e o tédio
vale celebrar a paz
chega de tanta confusão
as brigas só nos machucam
que venha o amor com união

* Marcos Fabrício


DENDÊ

dendê pro meu denguinho:
o amor move montanhas
minha fé é assim por você
doce sorriso de esperança

* marcos fabrício


RETALHOS DE CETIM
= a benito de paula =

aí chegou o carnaval
ela sapateou no meu coração
fez de mim sua fantasia
e espalhou pela avenida
retalhos de cetim
para melhor vestir
o meu coração

* Marcos Fabrício


Sorrisão, assim vou às alturas, sem precisar de montanha russa!

* Marcos Fabrício


DOMINGO NO PARQUE

nosso amor de carrossel
passou por um trem fantasma daqueles
até que na montanha russa
perdemos nosso medo de altura
comemoramos na roda gigante
o valor da beleza elevada
com direito a algodão doce
reinventamos a maçã do amor

* marcos fabrício


salvador dali
de mim
só você

* marcos fabrício


desce rasgando
mas não é cachaça
é a tua ausência
que me mata

* marcos fabrício


meu reino por um pijama

* marcos fabrício


AMANHÃ SERÁ

tratado de tordesilhas
muro de berlim das antigas
contratos separitistas
triunfo da hipocrisia
você do outro lado da pista
eu disposto a sair da linha
nós driblando a falsa medida
com amor despachamos intrigas
produzindo o melhor da poesia
tormentas são coisas antigas
boa esperança é a razão que fica

* marcos fabrício


A FONTE E A PONTE

quem se sente fonte
quer tomar o lugar
do horizonte
triunfar como gigante
como se do outro lado
só existisse o minguante

quem se sente fonte
tem postura arrogante
não inventa a roda
mas escraviza os cavalos
para fazer andar a carroça

quem se sente fonte
processa o diferente
como se fosse inimigo da história
acha que é o único original
a existir no meio das cópias

o melhor de nós
constrói a ponte
ligando estações
por onde o trem passa
levando e trazendo vagões

ideias são os voos do humano
coletivo plano de criar aviões
invenções provas concretas
de que eu e você
somos sujeitos de ligações
transitivos desejos
pintando o sete
contribuindo cada um
com os ovos do omelete

na linha de montagem
ser ponte nos ensina
a sabedoria do passageiro
a graça não tem fome de eterno
mas sede de terno amor
capaz de unir
o pensar e o sentir
para o bem maior
de melhor existir

* Marcos Fabrício


amo tanto eric clapton que sou claptonmaníaco

* marcos fabrício


voo nessa
tímido e ousado
desconfiando sempre
do estacionado
e esperando o melhor
de quem está ao lado

* Marcos Fabrício


me deu preguiça de teclar
o coração avisa
me deu vontade de tocar...

* Marcos Fabrício


quando o skank escancarava...
http://youtu.be/mXn8kcDSST8
quando o jota questionava...
http://youtu.be/ScTAODSSdlk
quando o pato fu me fundia a cuca...
http://youtu.be/1sMlLaNj0PM
o melhor vem de quando em quando

* Marcos Fabrício


BRONCA DE AMIGO

pode cagar na minha cabeça
que vai nascer uma samambaia

* marcos fabrício


como vem passado?
passado presente
futuro reluzente

* marcos fabrício


tudo é gula. nada é fome.

* marcos fabrício


FICA PEIXE

quando eu morrer
quero ser isca de peixe
das águas do paranoá
maneira bonita de se despedir
virar tira-gosto da vida
alegria de carne e espinha

* Marcos Fabrício


VOCÊ

você é o tipo de pessoa
que inventa o sol
onde só reina a garoa

* Marcos Fabrício


interrogações borbulhando
ponto final fervido
servido chá de exclamações

* marcos fabrício


ainda bem que não existe o sempre
caso contrário, bom samba
teria apenas uma nota só

* Marcos Fabrício


LAMA DO SUCESSO

entrei de gaiato no estilo
entrei entrei entrei
pelo CÂNOne

* marcos fabrício


ATENÇÃO

não sei mais como chamar a sua atenção
tentei chuva fina tentei trovão
busquei verão admirar teu sorriso sol
fui primavera para te sentir melhor em flor
mesmo no inverno outono me levando as folhas
bebi da água lágrima feliz pelo esplendor
de contemplar tua beleza em meu frescor
ainda acredito que você vai me notar
eu só espero estar vivo
para o nosso amor poder desfrutar

* Marcos Fabrício


quem tem o colo dos colos? você, mamãe!

* marcos fabrício


na sua boca
palavra assume
gosto de liberdade

como é bom
ganhar asas
ouvindo você

música dos meus ouvidos
vou virando assim
passarinho

* marcos fabrício


passei um perfume do bom
pensando nela tocando gaita
no meu cangote

* marcos fabrício


NATIRUTS EU SOU

eu não me basto
para me conhecer melhor
adoro quando os outros
me definem melhor do que imagino:
"eu sou surfista do lago paranoá"

* Marcos Fabrício


DEIXA O MENINO JOGAR

meus olhos foram driblados
magistralmente pelos teus pés peladeiros
ultrapassando esquemas táticos rasteiros
graças ao talento beija-flor
que encanta o mundo inteiro:
olé!

* Marcos Fabrício


PELE

sou da pele dos avoados
dos feiticeiros engraçados
torcedores do amanhã
que mandam bala de hortelã
pra festa da vida comemorar
vamos o mundo reinventar
mordendo a delícia da maçã
sem essa de pecado nos devorar
prazer do sol amor de luar

* Marcos Fabrício


CARTA NA MANGA

estou aqui escalando paredes
me disseram que você estaria no teto
à espera de um andarilho das estrelas
cá estou chegando
meu fôlego ficar contigo
doce ilusão de quem
desconfia das pedras
e acredita no voo dos passarinhos

* Marcos Fabrício


DIÁLOGO ENTRE PERNILONGOS

de Saulo Pessato:
"se o pernilongo canta na madrugada,
meu aplauso põe fim à sua carreira".

de Marcos Fabrício:
se o pernilongo canta na madrugada,
minha insônia canta com ele.


mal educado
sujeito que tem
pompas na língua

* marcos fabrício


te amo do fundo do meu fígado com o seu jiló

* marcos fabrício


SUBLIME
(após ouvir "irene", de rodrigo amarante)

quero beijar a sua boca
matar de fome a saudade
viajar no seu corpo
com as asas da liberdade
conhecer o sabor da paixão
beber do seu lindo prazer
fonte de querer saber
ponte de sublime tecer
carinhos...

* Marcos Fabrício


cansei de poesia
com p
de pura

* Dioli, NovAto e Marcos Fabrício


VERBORRAR

no bate papo
você cozinha o galo
tô percebendo o banho maria
o gigatoque não é gigabyte
esse carinho não tem amasso
vinho secado pelo cálice
e na distância
a gente se curte
compartiha megavaidades
tocando maltraçadas telas
maltratando mil e uma pétalas
nosso amor de olho mágico
tem medo de pagar mico
prefere bancar o micro
tédio de sem nexo
verborrar

* Marcos Fabrício


DECISÃO

entre atlético e cruzeiro
prefiro o eclético mineiro
raposa ou galo dependendo do tempero

* Marcos Fabrício


admiro tanto você
que aprendo até
com os seus avessos

* marcos fabrício


PENSAMENTO DE TORCEDOR

O gol é a vitória do bem sobre as traves do mal

* Marcos Fabrício


GOL FEITO

gol aberto
corri pro abraço
mas a bola beijou à trave
fiquei no vácuo

* Marcos Fabrício


existe uma gaita no telhado
miando jazz só pra mim
i'm blue moon

* marcos fabrício


SHOPPING-CÍNICO

engenharia bárbara
trinta horas por dia
no país que trata a verdade
com camisa de força
e a mentira
com camisa florida
sempre o seu progresso
me tratando como desordem
a palavra, contigo, é doce
minha voz enfrenta a foice
logo é vista como berro
quando acerto
valeu, quebra-galho
quando erro
diacho, lero-lero
enquanto isso
na escravisão do mérito
sua gravata e seu terno
passeiam de mão dadas
no shopping-cínico blindado
por manequins de sorriso amarelo

* Marcos Fabrício


a cabeça é o pé do coração
beija-flor artilheiro
pinga mel na multidão
* Marcos Fabrício


do ré mi fá
desafinado
toma lá dá cá

* marcos fabrício


- O que é a morte pra você?
- Poder virar à direita e à esquerda ao mesmo tempo.

* Marcos Fabrício


ABANDONO

conversar com a parede
acreditando que ninguém
quer te escutar

* Marcos Fabrício


ABORRECIMENTO

chatice elevada ao quadrado
potenciação do tédio
em pessoa

* Marcos Fabrício


ABRACADABRA

senha da minha conta
de valores que não
têm preço

* Marcos Fabrício


ADEUS

maria fumaça
abrindo distância
do nosso fogo

* Marcos Fabrício


ABREVIATURA

bj
beijo
não se abrevia

* Marcos Fabrício